O GRANDE APAGÃO

apagaoEm casa, esperava-nos uma canjinha que Celina tinha começado antes da missa do Senhor Bom Jesus.

Teresa e Manuel jantaram e foram logo para o Funchal:

– Amanhã tenho de me levantar cedo!

Nós ficámos na Lombada a fazer as coisas do costume. D. Aninhas, depois de rezar o terço, adormeceu e, Avelino, depois de por a pomada nos olhos, “começou a sonhar com as suas caminhadas”.

AIEEntretanto, ficámos à espera de ouvir o fogo do Senhor Bom Jesus, mas os nossos planos saíram furados. De repente… um apagão geral, em TODA a ilha da Madeira, durante aproximadamente 1 hora. Parece que foi devido a uma avaria na Central Térmica do Caniçal, uma empresa privada (será que, depois da privatização da Empresa de Eletricidade da Madeira, vamos assistir a um aumento de “fenómenos” como este? Aliás, este está a tornar-se um acontecimento recorrente nestes dois últimos anos… Porque será?)

O certo é que ficou tudo escuro como breu, não se via um palmo à nossa frente e, para vincar ainda mais o cenário, o céu ficou tapado pelas nuvens escuras da chuva.

O pior foi a festa do Senhor Bom Jesus: os Lordes não concluíram a sua atuação e o “fogo de estilo” ficou irremediavelmente comprometido. Contudo, conseguiram queimar o velho, a velha e a roda manhosa que, de acordo com fontes fidedignas, foi um espetáculo “d’admirar” que, no meio do ESCURO, “foi mai bonito ainda”.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Família. ligação permanente.

2 respostas a O GRANDE APAGÃO

  1. Informado diz:

    A cerca de dois meses foi na central dos secorridos, e foi um motor que deixou de funcionar e os que estavão de prevenção nao tinham a manutenção
    este do primeiro do ano foi um curto circuito que deu na central do caniçal e o sistema automaticamente manda informação para as outras centrais para que estas aumentam o desempenho . estas ja trabalham no “maximo” logo tiveram que ligar um dos motores de prevenção a trabalhar e para que este possa trabalhar a cem porcento tem de levar alguns minutos.
    a empresa de electricidade da madeira foi obrigada a curtar td a corrente, por causa dos picos de corrente que podia provocar dados materiais. quando o motores ja “tinham energia ” sufeciente foram destribuindo a energia pelos concelhos

  2. Lita diz:

    Afinal a crise também chegou à Madeira… será que vamos voltar aos candeeiros de petróleo? Teresa já deu o mote!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s