OS 85 ANOS DA MÃE

A mãe comemorou os seus 85 anos não com uma, mas com três festas e dois bolos de aniversário.

Os festejos começaram em São Vicente com os presentes de Ilda e Teresa. Depois de uma longa espera para, calmamente, “saborear” a intensa maresia e aumentar o apetite, surgiu o almoço na mesinha com vista para o mar. Uma iniciativa Teresa, sempre atarefada porque não podia estar, à noite, em casa no jantar da família.

Dali, em correria, a mãe, já com a toalete apropriada, seguiu para o Centro de Dia para o convívio com os idosos da freguesia. Havia bolo especial com mil orientações da mãe: levezinho, bem cozido, sem cremes, pode ser de chocolate, laranja, noz ,… não… e quanto vai custar? Mas, o bolo é de quê? – Perguntou calmamente o pasteleiro.

Acertado o bolo era preciso escolher a frase de parabéns. A mãe hesitou na idade e o pasteleiro escreveu “Parabéns dona Ana pelos 86 anos”. Ao sair da porta da padaria a mãe, em voz alta, pediu para corrigir: “Ponha 85 anos!”.

Infelizmente, por dificuldade de acertos dos horários, a mãe teve de regressar, apressadamente, a casa ainda de dia e, apesar da chuva que não parava de cair, começou a procurar nova toalete, interrogando Ilda: “Talvez já não vão sair?!..”

Claro que não havia possibilidade. Avelino estava a chegar, havia sopa de agrião com inhame e torresmos e pão acabadinho de amassar.

Avelino investigou tudo à procura do bolo fazendo com o dedo um rodinha na palma da mão e exigiu ver a iguaria escondida em cima da mesa.

Depois da sopa saboreada calmamente na mesa da cozinha, porque sem Teresa e Manuel éramos poucos para a sala de jantar decorada com os pratos novos, Avelino, de vez em quando, interrompia as conversas/recordações com a musiquinha dos parabéns a você…

Mas, claro que faltava enfeitar ainda mais o bolo. Enquanto o chá fervia o bolo recebeu bandeirinhas com frutos e velas com estrelinhas a cintilar.

Cantou-se os parabéns, bateram-se as palmas e a mãe com tanto entusiasmo apagou as velas mas não a estrelinha que continuou a cintilar. Avelino, que já antes tinha apagado as velas, por iniciativa própria, aproximou-se com os pulmões cheios de ar e… parecia um vendaval!

A mãe, depois de mais uma volta pelos armários à procura da faca especial, partiu o bolo preto, confecionado à moda antiga. Uma verdadeira delícia! O resto ficou no frigorífico grande à espera de mais visitas.

Esta entrada foi publicada em Família. ligação permanente.

3 respostas a OS 85 ANOS DA MÃE

  1. Marta diz:

    A mãe está com muito bom aspecto – bons tratos do mano e manas na Madeira. Quem se segue?
    Marta

  2. LG diz:

    So mesmo tu Manuel! As fotos e a descricao da Mae esta demasiado interessante mas a foto da cama esta um espanto adorei o teu promenor e fartei me de rir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s