FOI PARA COMPOR A ESCRITA

Após o almoço – bifes de atum – fomos à piscina de Porto Moniz para satisfazer o desejo de Marta. Enquanto ela dava os seus almejados mergulhos, nós ficámos na bonita “promenade” com vista privilegiada para as águas desta bonita e afamada vila.

Celina leu algumas das memórias do nosso livro. A mãe lembro-se de todos os pormenores e acrescentou outros aspetos em falta nos relatos.

No fim, comentou a referência que o livro faz a si própria, “O dinamismo da mãe” (páginas 9 e 10): «Penso que ele aumentou um pouco… foi para compor a escrita!…»

Entretanto, Avelino relaxava na sua soneca da tarde.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Família. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s