FOI PARA COMPOR A ESCRITA

Após o almoço – bifes de atum – fomos à piscina de Porto Moniz para satisfazer o desejo de Marta. Enquanto ela dava os seus almejados mergulhos, nós ficámos na bonita “promenade” com vista privilegiada para as águas desta bonita e afamada vila.

Celina leu algumas das memórias do nosso livro. A mãe lembro-se de todos os pormenores e acrescentou outros aspetos em falta nos relatos.

No fim, comentou a referência que o livro faz a si própria, “O dinamismo da mãe” (páginas 9 e 10): «Penso que ele aumentou um pouco… foi para compor a escrita!…»

Entretanto, Avelino relaxava na sua soneca da tarde.

Esta entrada foi publicada em Família. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s