TRÊS TEIMOSIAS DE ANTÓNIO, TRÊS GALOS DE CELINA

GALO n.º 1 – António e Celina estavam na Chamusca (por certo a apanhar erva para a vaca) quando alguém lhes disse que a Tia Maria , recentemente vinda do ex-Congo Belga, tinha chegado do Funchal, na companhia do pai que a tinha ido buscar.

Celina, já farta da tarefa e ansiosa pela novidade, disse a António que ia para casa ver a tia. Quando António proibiu Celina de sair dali dizendo que era mentira, a discussão começou:

– É mentira!

– Não é nada! Eu percebi muito bem; pensas que eu sou “Pamim”?

De repente, Celina desatou a correr pelo caminho abaixo. A indignação contra António era tão grande e a pressa era tanta, que não reparou nos altos e baixos do caminho e… tropeçou. Caiu na levada junto à casa do Morganho e bateu com a cabeça numa pedra que ali havia. Quando chegou a casa, além do seu contentamento pela chegada da tia, também tinha para mostrar um grande galo.

GALO n.º 2 – Um dia, a mãe disse a António e Celina que tirassem o feijão das varas que estavam na beira do caminho estreito, junto ao Poço do Olheiro.

António deu a ordem: – Metade, metade!

Celina, mais novinha, achou esta ordem injusta, porque além de mais velho, António era rapaz e podia trabalhar mais. Mas, António, valendo-se do seu tamanho, não ligou aos protestos de Celina e começou a distribuir as canas de acordo com a sentença por si ditada.

Celina, zangada, não confiou na divisão feita por António e começou a contá-las, uma a uma.

António não gostou nada desta brincadeira e, disfarçadamente, colocou uma cana entre as pernas de Celina que, desprevenida, caiu da parede abaixo, fazendo o segundo galo da sua infância.

GALO n.º 3 – António e Celina, já com mais idade, estavam já em casa da tia Maria a estudar. António, num dos intervalos de descanso dos inúmeros afazeres da casa, teimava com Celina sobre o nome da mãe. Celina dizia que era Ana Ferreira de Canha e António dizia que era Ana Gregória de Canha. Celina aborrecida pela contrariedade, correu para dentro de casa para buscar o seu Bilhete de Identidade e, assim, provar a sua afirmação. Mas o chão da casa da tia, encerado e polido semanalmente, fez com que ela escorregasse e partisse a cabeça.

Como a ferida era grande, foram os dois ao hospital e, enquanto os enfermeiros coziam a ferida de Celina, António desmaiou ao ver o sangue e o tamanho do galo.

Esta entrada foi publicada em Família. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s