60 ANOS É MUITO TEMPO…

Concentração da romaria

Concentração da romaria

Manuel fez 60 anos e, embora a data fosse para passar despercebida, a família quiz assinalar a data com pompa e circunstância à moda da Lombada.

A mãe deixou as hortas e, com as “manobras” de Teresa, foi com os filhos todos até Arruda dos Vinhos; Altino deixou Londres e arranjou um porquinho que andava faminto (segundo relato do Gui) à beira da estrada; Lizete deixou Londres e veio “saborear” uma verdadeira tarde de chuva; Marta deixou o Porto e veio “curtir” um friozinho do sul; Celina e Rosa mandaram, com antecedência as devidas mensagens; de Alcochete veio uma romaria superior à da Lombada; da Lourinhã partiu um “expert” em sangrias e um arquitecto especializado; de Fernão Ferro vieram os benfiquistas.

A cerimónia, encenada em segredo, apanhou S. Pedro distraído e foi devidamente abençoada por uma copiosa chuva, de manhã até à tarde. No entanto, isso não impediu a imaginação para fazer umas quadras que, depois de curto ensaio, saiu uma beleza:

Na nossa longa viagem
Trouxemos um bom companheiro
A fome nos acompanhou
E o porco chegou primeiro.

O programa foi sempre acompanhado com aquela imprescindível lama que se prende a tudo o que é sapatos, de preferência finórios.

Mas isso, não fez esmorecer o folclore e a animação e, sobretudo, a alegria da mãe por voltar a ver tanta família reunida.

O porquinho, devidamente “tratado” por mestre Altino e ajudante Reis, portou-se como mandam as regras da Lombada e, num ápice, inundou um “panelão” para alegria de todos.

Depois, vieram os bolos, as frutas, a sangria, vinhos variados do norte e do centro do país e, por fim, um cafézinho ao cimo de uma rampa, criada de propósito, para degustar umas semilhinhas à moda da Madeira.

Ao contrário do que é habitual nestas datas, desta vez houve discurso a condizer com a cerimónia:

– Muito obrigado a todos, a começar pela mãe e a terminar em Liliana… Muito obrigado a todos pela mensagem e pelo testemunho do espírito de família que sempre nos foi incutido desde pequeninos.

Tão bela cerimónia não dispensou uns momentos de aquecimento em torno de uma braseira improvisada que, além de nos aquecer, encheu de fumo as luxuosas roupas que os convivas traziam vestidas.


Anúncios
Esta entrada foi publicada em Família, Family com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s