E eu?!… Empregado de escritório!

DSC05043 - Cópia

Image | Publicado em por | 2 Comentários

Ai tantas, tantas rosinhas para a mãe!

DSC05046 - Cópia

DSC05050 - Cópia

Publicado em Família | 1 Comentário

Já passaram duas semanas

20170406_191418

Image | Publicado em por | 2 Comentários

As rosinhas da mãe continuam a lembrar a sua partida

20170412_132050

Publicado em Família | 1 Comentário

E as rosinhas da Dulce também

20170414_192753

Image | Publicado em por | 3 Comentários

MÃE

mae2

Image | Publicado em por | 2 Comentários

Há já sete dias que não falas

Agora, a minha oração da noite é:17635563_10211709893799424_6174035933987650087_o

“Mãe/Senhor orienta os meus sonhos,

pensamentos e ações”.

 

E hoje, sonhei.

Uma irmã apanhou-me um morango verde, com um troço grande

E eu disse «Vamos pôr de molho para não murchar»,

E abracei alguém pela cintura, que perguntou:

«Há quanto tempo não beijas alguém, assim?»,

E acordei.

 

O sono foi bom

O pensamento que gerou, também

A ação?!… Uhm, digamos que ainda há umas arestas para limar…

(é que hoje é sábado e tenho a casa para limpar).

 

Eu sei, Mãe

Ainda és muito nova

E chegaste agora aí.

Ainda não assentaste e já tens 14 processos para orientar.

Mas, vê lá, “A vida/morte é feita de sacrifícios”

E tu, ultimamente, andavas a relaxar;

Não te lembravas dos nomes,

Dizias que já não podias trabalhar,

Querias dormir a toda a hora

E só querias passear.

 

Está bem, o solinho era bom,

O banquinho estava mesmo ali,

Os filhos iam e vinham

E a comida lá acabava por ‘passar’.

 

Mas, agora, mãos à obra!

Começa pelo processo do meio.

Complicadinho, não?!

Numera e agrafa as folhas para não baralhar,

Pede conselhos à avó;

O pai pode observar!

E trabalha, trabalha muito;

Tu, que nunca conseguiste descansar.

Depois telefona à irmã.

Diz que a queres ver,

Se bem que Ela “já sabia que isso ia acontecer”

Depois dorme um pouco e sonha,

Sonha com as rosas – cheiram bem?

Colhemo-las para ti, Rainha!

 

Descansa agora.

Amanhã tens mais processos para cuidar.

Pega no último que te chegou às mãos.

Difícil, esse, mas fácil de amar!

E não te aflijas,

Se tiveres dificuldade em entender alguma coisa, manda recado,

Pede-nos ajuda.

Pois agora que ficamos sem supervisão por cá,

Unimo-nos para continuar.

 

Há já sete dias que não falas

E é urgente entender o que não dizes.

 

Marta Garcês

Publicado em Família | 2 Comentários