Dia de visitas e até abraços

Nem todos os dias são assim tão especiais com tantas visitas para a Dulce: Marina, Ita, Zé, António, Lita, Carlos, Fátima, Raquel, Victor, Lúcia e Sérgio.

A todos muito obrigado disse baixinho a Dulce com algumas emocionantes palavrinhas e até sentidos abraços.

Foi uma onda de emoção para levar bem guardada no coração que continua a bater e a lutar, a lutar e a bater.

Publicado em Família | Deixe o seu comentário

Beijos, muitos beijinhos para a Dulce

A dor aumenta cada dia que passa e as palavras são cada vez mais escassas.

Só os olhos se abrem de vez em quando e vão de encontro aos familiares sempre presentes.

As palavras são poucas, porque as forças não permitem, mas revelam que a paz que já se instalou bem no interior da Dulce.

Publicado em Família | 1 Comentário

DIAS DIFÍCEIS… MAS COM ESPERANÇA

???????????????????????????????

Imagem | Publicado em por | 2 Comentários

Hoje foi mais um dia de quimioterapia

O dia da quimioterapia tem sido sempre inesperado. A família nunca sabe quando vai ocorrer, apenas sente o aparato da operação e os seus efeitos da dose.

No estado atual da Dulce, parece que tudo se reduz à sonolência, aos olhos semicerrados, a deixar o corpo quieto até a voz começar a desparecer.

A família sente bem a dificuldade do momento, a dor de quem sofre e com apenas simples gestos alimenta a esperança de que amanhã tudo seja melhor.

Publicado em Família | 2 Comentários

Surpresa: Teresa visitou a Dulce

No final do dia a Dulce recordou as suas surpresas com uma referência especial à visita de Teresa: “Era mesmo Teresa de verdade. Teresa Silva. Ela veio ver-me e já foi apanhar o avião”.

O dia deixou marcas, alguma emoção e um esforço por manter a memória “ativa”  apesar do cansaço que uma simples recordação parece provocar.

Foi um momento muito especial que a Dulce queria recordar melhor lutando até  contra uma sonolência que a não deixava avivar a memória.

 

 

Publicado em Família | 1 Comentário

Novas com esperança para a Dulce

Não é fácil passar trinta e oito dias numa cama do hospital sem consequências bem visíveis em todo o corpo.

Com dias mais ou menos felizes a Dulce tem vindo a suportar o internamento e a sonhar com a hora em que poderá voltar a sentir o cheiro do seu quarto e a ver a paisagem da sua janela preferida.

Os tempos continuam difíceis e há dias em que tudo parece uma dor, uma aflição permanente que o sono é capaz de aliviar.

Felizmente a Dulce não desanima e há dias que esboça um sorriso, estende a mão e saboreia com doçura a presença da família sempre presente nas horas das visitas.

É a nossas esperança que diariamente se renova!

Publicado em Família | 1 Comentário

Diretamente da figueira ao consumidor

figueira-cosumidor

Publicado em Não classificado | 1 Comentário